Muitas crises de epilepsia têm fatores desconhecidos

Especialistas falam sobre a importância do diagnóstico correto e sobre os vários tipos de epilepsia

  • 115
  •  
  •  
  •  
  •  

O programa Saúde Sem Complicações desta semana fala sobre epilepsia e os convidados são a professora aposentada Maria Carolina Doretto, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e atual secretária executiva da Federação Brasileira de Epilepsia, e o  biomédico Arthur Fernandes, que atualmente desenvolve pesquisa como pós-doutorando no Departamento de Genética da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP.

Segundo Maria Carolina, “a epilepsia é um distúrbio do cérebro, causado por vários fatores, muitos até desconhecidos. Os neurônios, células do cérebro, passam a apresentar atividade anormal, que desencadeiam a crise epiléptica, com vários tipos de manifestações”.

Maria Carolina Doretto e Arthur Fernandes – Foto: Vladimir Tasca

Ela diz que a epilepsia pode se manifestar de diversas formas: “A população está familiarizada com crises que as pessoas se debatem, caem no solo, babam e até mesmo passam mal, são crises tônico-clônicas generalizadas. Mas, além desse tipo, existem outros tipos de epilepsia, inclusive sem manifestação motora, sem se debater, são crises em que as pessoas desmaiam, perdem o sentido sem manifestação motora exagerada”.

A professora fala também da importância de diagnosticar o tipo de epilepsia, pois nem todo tratamento deve ser igual. “É importante saber que existe não só um tipo de epilepsia, mas que as epilepsias são muitas e é importante fazer o diagnóstico correto, porque o tratamento não é o mesmo para todos os tipos de epilepsia”, explica. 

O programa Saúde sem Complicações é produzido pela locutora Mel Vieira e pela estagiária Júlia Gracioli, da Rádio USP Ribeirão, com trabalhos técnicos de Mariovaldo Avelino e Luiz Fontana. Apresentação de Mel Vieira e direção de Rosemeire Soares Talamone. Ouça acima, na íntegra.

  • 115
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados