Mudanças climáticas precisam ser contempladas na agenda do novo prefeito

Pedro Luiz Côrtes diz que o prognóstico climático deve ser levado em conta e cita várias medidas que podem ser tomadas, como o aumento da permeabilidade do solo

 27/11/2020 - Publicado há 1 ano

O Jornal da USP no Ar recebeu hoje (27), mais uma vez, Pedro Luiz Côrtes, professor associado da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP e professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência Ambiental do Instituto de Energia e Ambiente (IEE), desta vez para tratar sobre alguns desafios importantes que devem se impor ao prefeito eleito no que diz respeito ao cenário das mudanças climáticas, cujo cenário atual tem implicações a toda a população.

Para melhor compreender os impactos dessas mudanças na cidade de São Paulo, Côrtes apresenta alguns dados, tais quais a população da cidade de São Paulo: 12 milhões de habitantes. “Trata-se de um desafio similar a governar um país, principalmente no que diz respeito à densidade demográfica. E com os problemas ambientais deste ‘país’, como má distribuição de chuvas e aumento da temperatura média, as consequências são diversas”, aponta.

Desde riscos de deslizamentos, alagamentos e enchentes à maior incidência de doenças transmitidas por vetores, além dos problemas com abastecimento, todo esse cenário de má gestão ambiental foi deixado de lado na maioria das propostas de governo dos candidatos à Prefeitura de São Paulo. 

“Isso não pode acontecer: o prognóstico climático deve ser levado em conta”, explica o professor, que exemplifica algumas medidas que podem ser tomadas: aumento da permeabilidade do solo por meio do chamado IPTU Verde, incentivo da ação individual da população; incentivo no plantio de espécies nativas da Mata Atlântica; campanhas de educação ambiental na mídia e nos currículos escolares; dar continuidade ao projeto de limpeza de rios e córregos; envolvimento de coletivos de catadores na coleta de recicláveis, entre outros.

Côrtes conclui reafirmando a importância de se prestar atenção às mudanças climáticas, que “já são uma realidade entre nós. Não é uma aposta para o futuro. Essa é a nossa realidade e isso precisa entrar na agenda da administração da cidade”.

Ouça a íntegra da entrevista no player.


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica, a Faculdade de Medicina e o Instituto de Estudos Avançados. No ar, pela Rede USP de Rádio, de segunda a sexta-feira: 1ª edição das 7h30 às 9h, com apresentação de Roxane Ré, e demais edições às 10h45, 14h, 15h e às 16h45. Em Ribeirão Preto, a edição regional vai ao ar das 12 às 12h30, com apresentação de Mel Vieira e Ferraz Junior. Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo do Jornal da USP no celular. 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.