Morte de jornalista faz cair máscara do príncipe herdeiro saudita

A repercussão do caso fez empresários cancelarem participação no evento conhecido como “Davos no Deserto”

Na coluna Conflito e Diálogo desta semana, a professora Marília Fiorillo comenta sobre o dano à imagem do príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammad bin Salman, que investiu em um marketing de grande renovador em recente viagem aos Estados Unidos.

MBS, como era conhecido, foi duramente atingido com o desaparecimento do jornalista saudita Jamal Khashoggi, ação atribuída a ele por meio de evidências, e que se somou a outras polêmicas provocadas pelo príncipe recentemente, como a prisão de ativistas femininas que lutavam pelo direito de mulheres dirigirem carros e o aprisionamento de empresários e parentes em um hotel de luxo, só libertados depois de um acordo financeiro que envolveu bilhões de dólares, entre outras.

O assassinato de Khashoggi refletiu diretamente na segunda edição do fórum Future Investment Initiative, conhecido como “Davos no Deserto”, que acontece em Riad no final deste mês, com importantes líderes empresariais e organizações de mídia cancelando a participação na conferência.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 5
  •  
  •  
  •  
  •