Milícias: como e por que atuam

Especialista explica como surgiram, o modo e o local de atuação dessas organizações

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Homicídios em diversas cidades do País são atribuídos às chamadas milícias, termo muito presente na mídia atualmente. Mas, afinal, o que seriam essas organizações? Gabriel de Santis Feltran, coordenador do Centro de Estudos da Metrópole da USP, define da seguinte forma: ” Milícias são grupos paraestatais que fazem a ‘segurança’ de bairros do Rio de Janeiro, principalmente”. Ele justifica a existência de alguns desses grupos, alegando tratar-se de uma reação ao domínio de facções em alguns bairros.

O especialista explica que a atuação dessas organizações se faz mais presente no Rio de Janeiro. ”Em São Paulo, dada a hegemonia de uma facção que atua de forma muito diferente das cariocas, a ocorrência de milícias é muito menor”, exemplifica. Além disso, esses grupos mostram-se muitos diversificados no modus operandi, sendo difícil, dessa forma, obter-se uma definição abrangente do termo. Para conferir a matéria completa, clique no player acima.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados