Membros inferiores de recém-nascidos se desenvolvem de forma mais lenta

O encéfalo de uma criança de três a quatro anos já se desenvolveu quase totalmente e por isso o crânio é maior em relação aos membros inferiores

Nesta edição do Anatomia Responde, o professor Luis Fernando Tirapelli explica a modificação das proporções durante o crescimento do corpo humano.

Em comparação ao adulto, um recém-nascido possui a cabeça grande e os membros curtos, pois o encéfalo de uma criança de três a quatro anos já se desenvolveu quase totalmente. A partir de um ano de idade, a criança aprende a andar e falar. Os centros nervosos e aqueles relacionados à coordenação dos movimentos, além dos relacionados às funções intelectuais, já devem estar funcionando.

Na conformação da cabeça também há modificações. No recém-nascido, a face é pequena e o crânio é grande, e com a dentição superior e a inferior a face aumenta. Segundo Tirapelli, por outro lado, os membros inferiores não são tão importantes para a criança que mama e, durante o desenvolvimento antes do nascimento, o crescimento deles ocorre em ritmo mais lento; dessa forma, o tamanho total do feto no útero pode ser mantido pequeno.

“No adulto, o comprimento dos membros inferiores corresponde à metade do tamanho do corpo, enquanto no recém-nascido ele corresponde a um quarto”, conclui.

O boletim Anatomia Responde é produzido pelo professor Luis Fernando Tirapelli, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP, e pode ser conferido na íntegra no áudio acima.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.