Medida protecionista dos EUA pode beneficiar o agronegócio brasileiro

Donald Trump taxou as importações de aço e alumínio pelos EUA, mas a medida pode beneficiar o Brasil, diz professor da Fearp

 

O aço e o alumínio importados pelos Estados Unidos sofreram uma taxação de 25% e 10%, respectivamente, resultado da medida assinada no dia 8 de março pelo presidente Donald Trump, que concretizou promessa de campanha. Estão fora da aplicação dessa tarifa somente México e Canadá.

O professor Marcos Fava Neves, da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (Fearp) da USP, diz que “a medida tomada pelo presidente pode gerar graves reações para os países parceiros dos americanos, como, por exemplo, o Brasil”.

Por outro lado, o professor diz que a medida tomada pelo presidente também pode beneficiar o Brasil, principalmente no agronegócio. “Os Estados Unidos da América (EUA) são os principais concorrentes do Brasil na exportação da mercadoria do agronegócio, tanto no setor da soja quanto das carnes e do algodão. Então, se surgirem barreiras contra os EUA, o produto brasileiro pode ficar mais valorizado, fazendo assim aumentar a entrada de dólares no País”, explica Fava Neves.  

Por: Thainan Honorato

 

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •