Marisa Midori relata a trajetória de Ênio Silveira

A ditadura militar foi um dos períodos mais ativos do editor e sociólogo formado pela USP

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

20161013_eniosilveira_colunistamidoriNesta semana, a colunista Marisa Midori continua contando a trajetória do sociólogo Ênio Silveira, uma das personalidades mais influentes dos meios editoriais do Brasil durante décadas.

Marisa aborda, desta vez, como o golpe militar de 1964 influenciou o trabalho de Silveira. Durante os anos de chumbo, o sociólogo publicou uma série de livros de Lenin, que foram barrados pela censura. Em uma entrevista, ele se mostrou desconcertado com o ocorrido, pois sua coleção sobre Karl Marx não havia sido censurada.

Silveira também investiu em coleções direcionadas aos setores populares, como a “Cadernos do Povo Brasileiro”, que chegou a vender 100 mil exemplares numa época onde o analfabetismo beirava 40% dos 70 milhões de brasileiros. Foram mais de 20 edições dos Cadernos, que traziam conteúdo engajado politicamente a fim de apontar as lacunas deixadas pelo golpe.

Acompanhe a íntegra da coluna “Bibliomania”:

logo_radiousp790px

 

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados