Manual quer tornar paciente protagonista do seu tratamento

A publicação, de autoria de Sabrina Corrêa e Irineu Velasco, é indicada para profissionais da saúde e para todos aqueles que tratam de pacientes em estado grave

Em um assunto tão complexo e cheio de particularidades como o cuidado paliativo de pacientes, ter um manual que ajude na compreensão do assunto é de extrema importância. Pensando nisso, a disciplina de Emergências Clínicas da Faculdade de Medicina da USP lançará, em 25 de setembro, o Manual de Cuidados Paliativos na Emergência. O livro é uma parceria entre Sabrina Corrêa, médica da Emergência Referenciada do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, e o professor Irineu Velasco.

Para a médica, a pandemia trouxe uma urgência na questão do entendimento sobre o sentido dos tratamentos utilizados. No entanto, apesar de ter seções específicas sobre a covid-19, a ideia do projeto é anterior ao início da pandemia. Aliás, Sabrina Corrêa conta, em entrevista ao Jornal USP no Ar, que a ideia de fazer algo é antiga, pois, através de sua experiência de trabalho com pacientes graves na emergência e terapia intensiva, ela percebeu que algumas medidas invasivas, intubações, terceiro e quarto antibióticos talvez não estivessem mais beneficiando o paciente.

“Isso começou a me incomodar e, a partir disso, eu fui buscar uma formação em Cuidados Paliativos, para poder lidar melhor com o fato de que pacientes vão morrer no meu plantão, de que eu lido, às vezes, com pessoas com doenças incuráveis ou avançadas e que, para poder cuidar de pacientes graves, eu também preciso saber cuidar desses pacientes”, explica Sabrina, ao dizer que o livro é um projeto de cinco anos. Como reconhecer que um paciente que está chegando na emergência está morrendo? Quais são os sinais? Estas são perguntas que serão respondidas para aqueles que lerem o manual que será lançado pela Editora Manole.

Com uma abordagem prática, baseada em evidências, coisas que um leitor, provavelmente, não acharia em outros livros com esse tema, o manual é indicado para profissionais de saúde, mas não apenas para médicos e, sim, para todos aqueles que tratam pacientes em estado grave. Profissionais envolvidos no atendimento primário, emergência, unidade de terapia intensiva (UTI) serão o foco, pois o livro é uma obra que ajuda a tomada de decisões, que ajuda a discernir os valores envolvidos em cada etapa. “As necessidades de um paciente com câncer que acabou de ser diagnosticado são diferentes das do paciente com câncer em fase avançada. As prioridades delas mudam”, conclui a médica.

Além de seções específicas sobre a covid-19, o manual também trata das dificuldades no luto, os desafios envolvidos na alocação de recursos escassos, aspectos éticos, entre outros assuntos significativos. O interessado em adquirir o manual deve entrar no site da Editora Manole e garantir a sua edição.

Saiba mais ouvindo a entrevista completa no player acima.


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica, a Faculdade de Medicina e o Instituto de Estudos Avançados. Busca aprofundar temas da atualidade de maior repercussão, além de apresentar pesquisas, grupos de estudos e especialistas da Universidade de São Paulo.
No ar de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.
Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.