Maioria das vacinas pode ser aplicada simultaneamente

No País, é comum que os pacientes recebam duas ou mais vacinas simultaneamente

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

No primeiro boletim Pílula Farmacêutica desta semana, o tema continua sendo a imunização pelas vacinas. De uma forma geral, as vacinas que estão programadas no calendário de vacinação podem ser administradas simultaneamente sem maiores problemas, pois além de não prejudicar o efeito, também poupa o trabalho de ir mais de uma vez ao posto de saúde. Ainda existem vacinas que podem ser preparadas juntas, como a vacina tríplice bacteriana e a vacina contra a poliomielite.

Já quando duas preparações diferentes são aplicadas juntas, é recomendado apenas manter uma distância de 2,5 centímetros entre as aplicações. Porém, vacinas como a febre a da amarela e a tríplice viral devem ser administradas com 30 dias de intervalo, pois estudos mostram que, se aplicadas juntas, perdem até 20% de sua eficácia.

As vacinas de doses múltiplas contra a mesma doença também devem ser aplicadas com intervalo de 30 dias para que possam desencadear uma resposta significativa. Se o período mínimo não for respeitado não se deve considerar a primeira dose, pois o corpo humano não consegue responder em um período mais curto que esse.  

O boletim Pílula Farmacêutica é apresentado pelos alunos de graduação da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP) da USP com supervisão da professora Regina Célia Garcia de Andrade. Trabalhos técnicos de Luiz Antonio Fontana. Ouça, no link acima, a íntegra do boletim.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados