Limitação e variação da visão são comuns em todas as pessoas

O professor Eduardo Rocha fala sobre o conceito de perfeição do olho, que só existe na teoria

  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  

Na coluna Fique de Olho desta semana, o professor Eduardo Rocha fala sobre a perfeição do olho e as doenças que degeneram a estrutura ocular ao longo do tempo. Segundo Rocha, na teoria, o olho perfeito não deveria ter quase nenhum grau e a  capacidade de reconhecer o campo de visão, discernimento para cores e uma profundidade visual capaz de reconhecer detalhes. “Mas a visão perfeita não existe e todos têm algum tipo de limitação e variação fora da normalidade, mas que não interferem nas múltiplas atividades realizadas no dia a dia.” 

O professor diz que o fato da visão se deteriorar ao longo do tempo pode já estar marcado por questões genéticas ou, em outros casos, exposição a ambientes adversos, como o excesso de calor, a luminosidade crônica, e isso fazer com que a destruição lenta e progressiva dos tecidos cause uma doença degenerativa, como degeneração macular relacionada à idade.

Ouça acima, na íntegra, a coluna Fique de Olho, com o professor Eduardo Rocha.

  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados