Inteligência artificial no fundo é a boa e velha matemática

De acordo com o professor Luli Radfahrer, a maior parte dessa tecnologia é sistema de estatística consultando grandes bases de dados

  • 31
  •  
  •  
  •  
  •  

“A inteligência artificial já domina o mundo e, se as redes dos computadores forem desligadas, a economia mundial para”, afirma o professor Luli Radfahrer, da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP.

Para Radfahrer, há um erro de interpretação na palavra inteligência artificial. “A maior parte das inteligências artificiais de hoje são sistemas de estatística, que de inteligentes não têm nada e apenas consultam grandes bases de dados. No fundo é a boa e velha matemática.”

Ouça, no link acima, a íntegra da coluna Datacracia.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 31
  •  
  •  
  •  
  •