Inovar é tão importante quanto produzir pesquisas

Para vice-coordenadora da Auspin, a inovação é o caminho para criar espaço de reconhecimento na USP

  • 49
  •  
  •  
  •  
  •  

O Momento USP Inovação desta semana entrevistou Geciane Silveira Porto, nova vice-coordenadora da Agência USP de Inovação (Auspin) e professora da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (Fearp) da USP, que falou sobre a Auspin e como a agência pode cumprir seu papel na Universidade.

A professora explica como identificar as oportunidades empreendedoras. Segundo ela, é importante ter um conhecimento profundo de todo o ecossistema de inovação que existe na USP. Para isso, é necessário conhecer as competências tecnológicas que os laboratórios possuem, verificar, dentro do conjunto de trabalhos desenvolvidos pelos estudantes de graduação e pós-graduação, quais possuem um perfil empreendedor para que, por meio da Auspin, possa-se dar o suporte necessário para esses estudantes que queiram se tornar empreendedores.

Sobre esse suporte fornecido pela agência, ela esclarece que o papel da Auspin, num primeiro momento, é incentivar essas atividades, depois atuar sendo uma ponte entre o ecossistema de inovação e o futuro empreendedor. Esse papel da agência é muito importante, porque muitas vezes existem projetos interessantes e alunos empenhados, mas que não conhecem como o sistema funciona. Além disso, há o aspecto de proteção da propriedade intelectual que um projeto de base tecnológica precisa ter para não perder atratividade para o investidor. É importante informar ao estudante quais são as medidas para ele proteger essa tecnologia e dar as condições institucionais necessárias para poder fazer essa proteção.

A vice-coordenadora fala ainda sobre como fortalecer a cultura de inovação. Para ela, esse momento passa por um processo de valorização, de reconhecer que a atividade ligada à inovação importa tanto quanto a atividade ligada à pesquisa. São duas trilhas, ambas extremamente relevantes, uma para o desenvolvimento científico e outra para o desenvolvimento tecnológico. “A partir do momento em que nós reconhecemos que a inovação é relevante, que a atividade empreendedora é tão necessária quanto outra, nós vamos criando um espaço de reconhecimento na Universidade”, afirma a professora.

Jornal da USP no Ar, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular. Você pode ouvir a entrevista completa no player acima.

  • 49
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados