Inovações tecnológicas demandam certa cautela por parte da população

De acordo com o colunista Luli Radfahrer, adorar a tecnologia é tão perigoso quanto odiá-la

  • 6
  •  
  •  
  •  
  •  

Nesta semana, Luli Radfahrer explica em sua coluna o que é um algoritmo frankenstein. Ele diz que esse é um tipo de algoritmo capaz de identificar e consertar seus erros de forma autônoma. A analogia com o monstro vem justamente dessa forma de comportamento “meio viva” da tecnologia.

O colunista lembra que há prós e contras em relação a esse tipo de equipamento, já que ele pode proporcionar diversas soluções para problemas da sociedade, mas pode ficar fora do controle humano por ser capaz de funcionar sozinho. É preciso estar atento. A nova tecnologia como um todo tem que ser estudada antes de ser aplicada, para que as desvantagens sejam detectadas e minimizadas ao máximo. “De qualquer forma, adorar a tecnologia é tão perigoso quanto odiá-la”, conclui.

Confira no link acima a íntegra da coluna Datacracia.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 6
  •  
  •  
  •  
  •