Ingestão de chocolate provoca crises de enxaqueca, mito ou verdade?

A associação entre o consumo de chocolate e o surgimento de crises de enxaqueca não está cientificamente comprovada

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Nesta semana, o professor Octávio Pontes Neto fala sobre a suposta relação da ingestão do chocolate com crises de enxaqueca, que é problema químico do cérebro e que tem como principal manifestação clínica a dor de cabeça. Essa dor geralmente é unilateral, só de um lado da cabeça, acompanhada de fraqueza, náusea, vômito, intolerância à claridade, cheiros fortes e barulho.

O professor diz que “a crise de cefaleia unilateral vem com periodicidade, às vezes, relacionadas a fatores muito comuns em que as pessoas que tinham enxaqueca atribuem essas crises à ingestão de chocolate”.

Pontes Neto diz que essa associação entre o chocolate e a crise de enxaqueca ainda é muito discutida e controversa na literatura. Segundo ele, um estudo apresentado recentemente no congresso americano de cefaleia questiona essa associação.

O estudo acompanhou mais de 400 pacientes com crise de enxaqueca frequente por período de 90 dias. Os pacientes eram convidados a responder questionário em plataforma on-line com todos os possíveis fatores precipitantes das crises. Na análise dos dados, os pesquisadores não encontraram associação entre a exposição de chocolate e o desencadeamento de crise de enxaqueca.

O professor ressalta que os pesquisadores concluíram, portanto, “que a ingestão de chocolate não deve ser fator comumente associado ao desencadeamento de crise de enxaqueca”.

Ouça no link acima a íntegra da coluna Minuto do Cérebro.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados