Indústria não é a única responsável pela contaminação dos solos

Manual técnico busca evitar negligência com padrões ambientais e má gestão de resíduos

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn1Print this pageEmail

 

A Associação Brasileira de Empresas de Engenharia e Consultoria Ambiental (AESAS), em conjunto com o Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais (Secovi) e com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), prepara um manual para investidores do setor de incorporações imobiliárias de São Paulo. O objetivo do documento é orientar a contratação de empresas que realizam serviços de gerenciamento de áreas contaminadas ou potencialmente contaminadas.

Marcela Maciel de Araújo, pesquisadora do Laboratório de Resíduos e Áreas Contaminadas do IPT, explica que, quando empreendimentos não realizam o tratamento adequado do solo onde se assentam, resíduos podem permanecer na terra e atingir águas subterrâneas. Esse problema tende a ocorrer com indústrias e postos de gasolina.

A pesquisadora conta que a gestão de áreas contaminadas tem melhorado bastante no Estado de São Paulo, porém ainda está aquém do que deveria. Nesse sentido, o manual, que deve ficar pronto em fevereiro de 2018, é uma ferramenta a mais no esforço para a preservação ambiental.

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn1Print this pageEmail

Textos relacionados