Incontinência urinária é questão de saúde pública

Afirmação é de especialista da FMRP, que explica ser o distúrbio mais prevalente na mulher em função da gravidez

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A incontinência urinária, que é a perda involuntária da urina, é mais comum do que se imagina. No Brasil, cerca de 10 milhões de pessoas sofrem com o problema. Estima-se que 5% da população mundial tenha incontinência urinária.

A prevalência maior é na mulher. Pesquisa feita no Brasil pela Organização Mundial da Saúde detectou que 26% das mulheres têm o problema, contra 11,5% dos homens.

Segundo o urologista e professor Rodolfo Borges, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP, existem dois tipos de incontinência urinária. Ele explica também que a mulher é mais suscetível do que o homem devido à gravidez e ao parto.

Apesar de não ser classificada como doença, o professor afirma que se trata de uma questão de saúde pública devido à prevalência ser considerada alta.

Ouça a entrevista no link acima.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados