Idosos que fazem yôga têm menos chance de ter demência como o Alzheimer

A atividade preserva a memória operacional, responsável por processar informações do dia a dia

  • 909
  •  
  •  
  •  
  •  

Na edição de hoje o professor José Carlos Farah comenta os inúmeros benefícios da yôga como prevenção de demências. A ciência comprova  mais um motivo para se fazer regularmente essa atividade milenar.

De acordo com Farah, idosos que praticam yôga correm menos risco de desenvolver demências como o Alzheimer, porque a prática preserva a memória operacional, que é responsável por processar informações temporárias do dia a dia, como por exemplo onde colocar a chave do carro ou gravar o número de telefone de alguém.

Ouça, no link acima, a íntegra da coluna Corpo e Movimento.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 909
  •  
  •  
  •  
  •