Idoso pode ter autonomia e não precisa ser tratado como criança

O professor e psicanalista Christian Dunker explica que essa relação é o cuidado invertido. “Na medida que nossos pais vão envelhecendo, inverte-se a relação inicial de cuidados”

 09/02/2021 - Publicado há 2 anos
Por
comportamento do idoso, infantilização do idoso, violência simbólica contra idoso
A convivência com idosos requer um preparo que muitas vezes o familiar não tem ou não estava preparado para ter nestes tempos de pandemia – Foto: ANPR via Fotos Públicas

A convivência com idosos requer um preparo que muitas vezes o familiar não tem ou não estava preparado para ter nestes tempos de pandemia. O que se nota é que cada vez mais famílias estão vivendo juntas na mesma casa com pessoas da terceira idade.

Primeiro, precisamos entender que a pessoa idosa pode ter autonomia e, mesmo que seja dependente, não precisa ser tratada como se fosse uma criança e levar bronca, como se faz quando se repreende um filho.

Infantilização do idoso

A infantilização do idoso é resultado de uma comparação equivocada do relacionamento carinhoso, normalmente usado com crianças. Especialistas acreditam que isso ocorra como resultado da fragilidade e dependência que o idoso geralmente apresenta. Esse comportamento normalmente é repetido por familiares e profissionais de saúde próximos a ele.

+ Mais

Em 2030, Brasil terá a quinta população mais idosa do mundo

O psicanalista e professor do Departamento de Psicologia Clínica, Christian Dunker, do Instituto de Psicologia da USP, explica que essa relação é o cuidado invertido. “Na medida que nossos pais vão envelhecendo, inverte-se a relação inicial de cuidados. No começo nós somos cuidados por eles e, no fim, eles são cuidados por nós”, afirma.

É muito comum desconsiderar escolhas e opiniões, retirando a autonomia e excluindo-os de conversas e discussões importantes. O idoso precisa e deve ser integrado à família. Durante a entrevista, Christian Dunker explica também a diferença entre dependência e autonomia.


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica e o Instituto de Estudos Avançados. No ar, pela Rede USP de Rádio, de segunda a sexta-feira: 1ª edição das 7h30 às 9h, com apresentação de Roxane Ré, e demais edições às 14h, 15h e às 16h45. Em Ribeirão Preto, a edição regional vai ao ar das 12 às 12h30, com apresentação de Mel Vieira e Ferraz Junior. Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo do Jornal da USP no celular. 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.