Horário político começa a sinalizar rumos da disputa presidencial

No entanto, ainda é cedo para saber como esses primeiros dias de propaganda política irão influenciar no comportamento do eleitor

  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  

O cientista político André Singer faz uma análise do horário eleitoral gratuito no rádio e na TV. “O que nós vimos nesses primeiros dias […] é aquilo que se previa, ou seja, o candidato que tem mais tempo, que é o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, tentando esvaziar a candidatura de Jair Bolsonaro por meio de ataques bastante duros.” Para Singer, resta saber como o eleitor vai reagir a isso. “Nós não sabemos se a candidatura de Bolsonaro tem o apoio cristalizado, um apoio que se consolidou, ou então se esses ataques, essas críticas que vêm aparecendo no horário eleitoral, começam a surtir efeito e a fazer com que uma parte do eleitorado mude de opinião.”

Do outro lado do espectro político, também não há uma definição a respeito do que possa vir a ocorrer. Nós próximos dias, o ex-presidente Lula, que teve sua candidatura impugnada pelo TSE, deverá oficializar seu apoio à candidatura do ex-prefeito da Capital, Fernando Haddad, só então “vamos começar a perceber como os eleitores de Lula, aqueles que gostariam de votar no ex-presidente, vão reagir a essa substituição”. Mas isso ainda vai demandar um certo tempo e futuras pesquisas de opinião. Ainda não se sabe, diz Singer, em que proporção poderá ocorrer a transferência de votos de Lula para Haddad. Acompanhe pelo link acima a íntegra da coluna Poder e Contrapoder.

  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados