Guilherme Wisnik comenta sobre vítimas da violência policial no Rio

Colunista considera a política de segurança pública estadual um extermínio em massa contra moradores das periferias

Na coluna desta semana, Guilherme Wisnik comenta a morte da menina Ágatha Félix, atingida por um tiro de fuzil no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro. O colunista critica a política de segurança pública do governo do Estado do Rio de Janeiro, que tem feito vítimas entre os moradores das regiões periféricas da cidade.

No entanto, ao invés de explorar o tema, o professor opta por “fazer uma homenagem musical a Ágatha e a muitos dos moradores de favelas e das comunidades que hoje são vítimas dessa política de extermínio em massa posta em prática pelo governo do Rio de Janeiro, de Wilson Witzel, seguindo uma diretriz do governo federal”, que, segundo Wisnik, tem transformado a violência num valor nacional e em uma arma política.

Acompanhe o comentário completo no link da coluna Espaço em Obra.


Espaço em Obra
A coluna Espaço em Obra, com o professor Guilherme Wisnik, vai ao ar toda quinta-feira às 9h30, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •