Grossmann analisa as potencialidades da cultura na virtualidade

Em sua coluna, professor destaca que, com as novas tecnologias, museus têm a potencialidade de se transformar

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail


Com as novas tecnologias, os museus – que tradicionalmente atuam no mundo físico – têm a potencialidade de estar em outros lugares, de se transformar e de alcançar um público maior. Embora a cultura material, o objeto, seja central para a museologia tradicional, a cultura na virtualidade cria novas e incríveis possibilidades para a atividade museológica.

Foi o que afirmou o professor Martin Grossmann em sua coluna “Na Cultura o Centro Está em Toda Parte”, que foi ao ar no dia 26 de abril pela Rádio USP (93,7 MHz). Para o professor, não se trata de substituir a cultura material pela cultura na virtualidade. O que acontece é uma complementaridade, uma extensão da cultura material para outras dimensões.

Mesmo identificando na atualidade uma “época de transição” entre a cultura material e a cultura na virtualidade, Grossmann salienta que as novas tecnologias ainda não impactaram os museus. “Essa revolução ainda não ocorreu. Essas capacidades tecnológicas que nós próprios criamos ainda não foram suficientemente introjetadas nos museus.”

Ouça no link acima a íntegra da coluna do professor Martin Grossmann.

 

 

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados