Grave situação epidemiológica do País não permite retomada do ensino presencial

Ao comentar nota técnica da Fundação Oswaldo Cruz, Lorena Barberia afirma que o ensino remoto deve ser visto como parte fundamental do planejamento da educação durante a pandemia

 14/04/2021 - Publicado há 8 meses  Atualizado: 15/04/2021 as 16:13

 

retorno as aulas presenciais
A nota técnica detalha as recomendações da Fiocruz para a reabertura segura das escolas – Foto: Pixabay

Em nota técnica divulgada no último dia 12, a Campanha Nacional pelo Direito à Educação, o Observatório Covid-19 BR e a Rede Análise Covid-19 defendem, em concordância com nota técnica da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que não é possível que as atividades presenciais nas escolas brasileiras sejam retomadas, devido à grave situação epidemiológica do País. 

+ Mais

Pandemia vs. Educação

Em entrevista ao Jornal da USP no Ar 1ª Edição, a professora Lorena Barberia, do Departamento de Ciência Política da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, e uma das responsáveis pela nota, explica que esta foca em um monitoramento sistemático da pandemia e nas recomendações da Fiocruz para o retorno das atividades presenciais. “Sempre procuramos reforçar que não é que o ambiente da escola aumenta os riscos de transmissão, mas que estamos vivendo um momento da pandemia muito pior do que em 2020 e que, nesse contexto, as escolas refletem os riscos de suas comunidades”, afirma.

Recomendações não foram seguidas

A nota técnica também detalha as recomendações da Fiocruz para a reabertura segura das escolas, destacando que “o Brasil não tem feito sequer o mínimo para aferir e implementar cada um [dos indicadores recomendados], como testagem, rastreamento, distribuição de equipamentos de proteção individual (EPIs) eficazes e reorganização do espaço e do cotidiano escolar”. A professora explica que a infraestrutura das escolas é fundamental para se avaliar a capacidade destas receberem os alunos, portanto, devem ser feitas adaptações para melhorar a ventilação e o distanciamento nos ambientes escolares, por exemplo.

Lorena explica que, como evidenciado na nota técnica, sabe-se que a pandemia tem momentos cíclicos e, eventualmente, há um maior risco de transmissão. Portanto, o ensino remoto não deve ser visto como uma alternativa excepcional, mas como parte fundamental do planejamento da educação durante a pandemia, integrado aos planos de ensino das escolas da rede pública. A professora destaca: “Está acontecendo um debate entre abrir ou fechar escolas, mas o ensino nunca deveria ter sido interrompido. Ele deve continuar, mas o presencial, neste contexto, não é possível”.

Acompanhe neste link a íntegra da nota técnica da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, do Observatório Covid-19 BR e da Rede Análise Covid-19.


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica, a Faculdade de Medicina e o Instituto de Estudos Avançados. No ar, pela Rede USP de Rádio, de segunda a sexta-feira: 1ª edição das 7h30 às 9h, com apresentação de Roxane Ré, e demais edições às 10h45, 14h, 15h e às 16h45. Em Ribeirão Preto, a edição regional vai ao ar das 12 às 12h30, com apresentação de Mel Vieira e Ferraz Junior. Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo do Jornal da USP no celular. 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.