Governo do Estado tem novo plano para despoluir rio Pinheiros

A ideia é impedir que esgoto e lixo cheguem ao rio, tratando do problema já nos afluentes

 21/10/2019 - Publicado há 2 anos  Atualizado: 22/10/2019 as 12:09

O governo do Estado de São Paulo elaborou um novo projeto para despoluir o rio Pinheiros. O objetivo é impedir que esgoto e lixo cheguem ao rio, o que significa interromper esse descarte nos afluentes, numa manobra que permitirá que o rio volte a ter oxigênio. Para tornar a água do rio Pinheiros mais limpa, o governo do Estado deve investir em torno de R$ 1,5 bilhão. Para o professor José Carlos Mierzwa, chefe do Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental da Escola Politécnica da USP, essa proposta dá continuidade às ações que já vinham sendo tomadas por governos anteriores ao atual e conduzidas pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb).

“A ideia básica desse novo projeto é implantar, em regiões onde existe uma dificuldade de instalar a rede coletora de esgoto, estações localizadas de tratamento, interceptar os corpos d´água que recebem esse esgoto que não é coletado, tratá-lo e devolver para o curso da água”, explica ele. O projeto também prevê conter a poluição chamada de carga difusa, que nada mais é do que o lixo carregado para rio, sobretudo em períodos de chuva. A estratégia passa pela coleta da água logo no início do período pluvial – ou seja, no pico da poluição. Essa água seria então coletada, tratada e armazenada. Como resultado, ela correria para o rio sem qualquer poluição.

Na opinião de Mierzwa, trata-se de um projeto com potencial para funcionar, desde que os órgãos envolvidos – governo do Estado, Prefeituras municipais e respectivas companhias de saneamento – trabalhem em conjunto e façam sua parte.

Acompanhe, pelo link acima, a íntegra da matéria.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.