Fora das prioridades, tuberculose ressurge em algumas regiões

Com a diminuição na quantidade de casos nos últimos dez anos, políticas públicas de combate à doença enfraqueceram e agora ela retorna mais resistente

O segundo boletim Pílula Farmacêutica desta semana fala sobre a volta da tuberculose em algumas regiões do País, e tem como possíveis causas a epidemia de HIV (sigla em inglês do vírus da imunodeficiência humana) e a resistência aos antibióticos que combatem as bactérias da doença.

A tuberculose multirresistente é um fenômeno provocado pelos humanos, como resultado das alterações genéticas pelo uso descontrolado e inadequado de antibióticos e a baixa adesão de pacientes ao tratamento, que é muito longo. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que 3,6% dos novos casos de tuberculose e 20% dos já tratados sejam multirresistentes.

Para as pessoas com HIV e tuberculose, a necessidade de concentrar uma grande quantidade de medicamentos aumenta o risco de abandono do tratamento e de resistência aos antibióticos, acarretando consequências mais graves devido à baixa imunidade. Esta resistência é considerada uma situação crítica, visto que a quantidade de fármacos que combatem a doença é pequena e isso pode levar a quadros intratáveis aumentando o risco de contágio.

Ouça acima, na íntegra, o boletim Pílula Farmacêutica.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.