Fiação elétrica danificada, cidade às escuras: por quê ?

Para Raquel Rolnik, é inadmissível que a cidade de São Paulo, centro econômico do Brasil, tenha de conviver com um sistema anacrônico de distribuição de energia, apesar dos lucros auferidos pelas empresas que dela fazem uso

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

00_zero

Forte temporal derruba árvores na esquina da Rua da Consolação com Avenida São Luiz e deixa a cidade no escuro - Foto Paulo Pinto via Fotos Públicas
Temporal derruba árvores e deixa a cidade no escuro – Foto Paulo Pinto via Fotos Públicas

Chega a época chuvosa e o cenário se repete em São Paulo: árvores caídas sobre a fiação elétrica, escurecendo a cidade, como ocorreu na quinta-feira de 20 de outubro. A pergunta que não quer calar é a seguinte: por que não enterrar os fios elétricos, como já acontece em algumas regiões do município, como na Avenida Paulista, por exemplo ?

Novamente, os interesses econômicos se sobrepõem aos dos cidadãos, uma vez que a Eletropaulo aluga os postes para concessionárias que também usam fiação (telefonia, redes de banda larga e de TV digital etc.) e que pagam a ela por isso. Uma outra questão é a de que, quando a Eletropaulo foi privatizada, não foi incluído em contrato o compromisso para que a empresa enterrasse a fiação elétrica, razão pela qual se sente desobrigada a isso. Quem sofre é o cidadão, condenado a ficar às escuras por dias seguidos.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •