Febre amarela volta a preocupar as regiões Sul e Sudeste

Registros de novos casos causam mobilização do governo quanto à vacinação

  • 377
  •  
  •  
  •  
  •  

O Ministério da Saúde reforça a necessidade de se vacinar contra a febre amarela. A causa dessa nova mobilização são novas infecções nas regiões Sul e Sudeste, e também as coberturas vacinais, que não atingiram a meta estimada de 95% da população.

Atualmente estima-se que o número de pessoas não vacinadas é de cerca de 36,9 milhões no Sudeste e de 13,1 milhões no Sul. No entanto, as consequências disso podem ser graves.

A professora Maria Anice Mureb Sallum, da Faculdade de Saúde Pública da USP, explica os riscos para quem não se vacina. Além disso, conta que existem dois tipos de febre amarela: a silvestre e a urbana – esta última transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, cujo convívio com os homens é muito comum. Por esse motivo, agora a preocupação das instituições governamentais é evitar a disseminação da doença nos grandes centros, onde a densidade populacional é maior.

Para saber mais, ouça a reportagem completa da Rádio USP no player acima.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 377
  •  
  •  
  •  
  •