FDA aprova novo medicamento para Esclerose Lateral Amiotrófica

Na estreia do Minuto do Cérebro, o professor Octávio Pontes Neto fala sobre aprovação de novo medicamento para ELA nos EUA

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail


.Na estreia da coluna semanal “
Minuto do Cérebro”, o professor Octávio Pontes Neto, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP,  fala sobre a aprovação da medicação Edaravone para o tratamento das fases precoces da Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA). A doença é neurodegenerativa e fatal, caracterizada por degeneração dos neurônios motores. Após mais de duas décadas sem novidades na área, foi aprovado pelo Food and Drug Administration (FDA), agência federal do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, esse novo medicamento. Segundo o professor Pontes Neto, esse fato aconteceu a partir de resultados de estudos clínicos realizados no Japão, onde o medicamento é usado desde 2015. “A droga tem efeitos colaterais como reações alérgicas, cefaleia, lesões na pele e problemas respiratórios, por exemplo.” No Brasil, essa medicação não está disponível e seu preço “deverá ser outro efeito adverso para os brasileiros se chegar ao nosso mercado”, destaca o professor. Ouça acima, na íntegra, o comentário do professor Octávio Pontes Neto.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados