Faltam vagas de acolhimento a moradores de rua em São Paulo

Em 2018 a Prefeitura abordou cerca de 105 mil pessoas em situação de rua

No ano passado, de acordo com o site da Prefeitura de São Paulo, assistentes sociais do município abordaram cerca de 105 mil pessoas nas calçadas da cidade, um aumento de 66% em relação a 2015. Os dados oficiais de sem-teto na capital está desatualizado, o último é de 2015, quando 15 mil moradores de rua foram contabilizados.

A crise econômica, o desemprego, a falta de perspectiva de moradias populares são algumas das razões que levam as pessoas a usarem as ruas como dormitórios. A professora Raquel Rolnik, em conversa com a repórter Sandra Capomaccio, na coluna desta semana, alertou que os  CTAs (Centro Temporário de Acolhimento) não aceitam famílias, nem mulheres, muito menos com crianças. Dessa forma esses grupos acabam se concentrando em regiões como a Cracolândia e são confundidos como usuários de drogas.

Ouça no link acima a íntegra da coluna Cidade para Todos.


Cidade para Todos
A coluna Cidade para Todos, com a professora Raquel Rolnik, vai ao ar toda quinta-feira às 8h30, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •