Exposição excessiva às novas mídias pode alterar comportamento infantil

Para o colunista, as crianças precisam de menos aparelhos eletrônicos ligados e mais exposição à luz natural, com atividades físicas e em grupos

O aumento do uso de mídias digitais pelas crianças, como o celular, os tablets, a televisão, os jogos e videogames, está associado a um padrão alimentar pouco saudável, má qualidade do sono, doença cardiovascular e até obesidade. O médico Alexandre Faisal comenta que algumas diretrizes internacionais recomendam que as crianças com menos de cinco anos de idade, ou mais, tenham menos de duas horas de tempo de uso de tela por dia e, na faixa de dois a quatro anos, o tempo seja inferior a uma hora por dia.

O colunista afirma que o Departamento de Pediatria da Universidade de Alberta, no Canadá, apresentou dados de uma pesquisa que avalia o impacto negativo dessa permanência em frente a uma tela de vídeo. “As crianças que ficavam duas horas ou mais em frente à tela apresentavam cinco vezes mais risco de ter problema de comportamento e seis vezes mais chance de apresentar problemas como deficit de atenção. A associação entre tempo de tela e a morbidade comportamental foi mais importante que qualquer outro fator de risco”, ressalta.

Ouça no player acima a íntegra da coluna Saúde Feminina.


Saúde Feminina
A coluna Saúde Feminina, com o professor Alexandre Faisal, vai ao ar toda quinta-feira às 10h, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.