Evolução do xenotransplante mostra importância da identificação de vírus em animais

De todo modo, Silvano Raia destaca que o ocorrido no transplante de coração suíno para um humano em Maryland “representou uma etapa importante na evolução do transplante de órgãos”

 20/05/2022 - Publicado há 1 mês
No Brasil, 1.780 pessoas morreram na lista de espera de órgãos e a cada 30 segundos  morre alguém por falta deles – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Foram identificados, no paciente que recebeu o coração de suíno, em Maryland (EUA), e morreu dois meses após a cirurgia, sinais de vírus animal (citomegalovírus). A partir disso, os estudos devem se atentar em identificar, antes do xenotransplante, a presença desse tipo de vírus no órgão e utilizar animais não infectados.

O professor Silvano Raia, titular em Clínica Cirúrgica na Faculdade de