Estudo evidencia que a tecnologia pode impulsionar a desigualdade

Pesquisadores verificaram que quem tem maior chance de ser inventor nos EUA são crianças de famílias mais abastadas

Glauco Arbix, nesta semana, fala sobre um estudo recente realizado por pesquisadores de Harvard, que buscava entender quem se torna inventor nos Estados Unidos. A pesquisa constatou que quem tem mais chance de seguir essa carreira são pessoas com melhores condições socioeconômicas. Além disso, o professor conta que, quanto mais à vontade a criança estiver ao longo de seu desenvolvimento, mais probabilidade ela tem de ser inventora.

Apesar de todos os benefícios da tecnologia, essa descoberta evidencia uma faceta não muito agradável das inovações. O colunista comenta: “Elas estimulam e impulsionam a desigualdade na sociedade”. Como solução, ele sugere novas políticas públicas.

Por meio do player acima, escute a coluna Observatório da Inovação.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •