Estudo da USP busca saber quando crianças devem acessar tecnologia

Pesquisadoras esclarecem que contato prematuro com smartphones pode retardar desenvolvimento da fala

 

jorusp

O uso de smartphones, tablets e jogos eletrônicos é muito frequente no dia a dia de crianças, adolescentes e até de bebês. É quase impossível imaginar uma infância completamente livre desses equipamentos eletrônicos. A pesquisadora Maria Cecília de Freitas Ferreira, pós-doutoranda sob a orientação da professora Simone Rocha de Vasconcellos Hage, do Departamento de Fonoaudiologia da Faculdade de Odontologia (FO) da USP de Bauru, falou sobre a pesquisa que desenvolve e que relaciona a influência desses equipamentos no desenvolvimento da linguagem das crianças.

A tecnologia faz parte da vida do ser humano e é inegável que facilita o contato entre as pessoas. Mas, para a professora Simone, a questão é quando essa tecnologia deve começar a ser oferecida a uma criança. Ela explica que, no desenvolvimento da linguagem, é muito importante que a criança tenha contato com pessoas, principalmente em seu primeiro ano de vida. A atenção necessária à sua fala é feito por alguém e não por dispositivos. Fora do País existem pesquisas que mostram que, quando a tecnologia é oferecida precocemente e por muito tempo, isso se torna um fator de risco para que a criança tenha atraso no desenvolvimento da linguagem.

O foco da pesquisa é entender quando a tecnologia é boa ou ruim e em que momento deve ser oferecida. Maria Cecília explica como elas estão colocando o estudo em prática. Os pais se voluntariam, agendando uma entrevista em que recebem orientações em relação ao desenvolvimento da linguagem. Depois de responder um questionário sobre o uso das tecnologias, há uma fase de avaliação das crianças. As famílias serão separadas em grupos do perfil de utilização de tecnologia. A partir disso, as pesquisadoras poderão comparar e saber como funciona essa influência.

Os interessados em participar da pesquisa podem entrar em contato através do telefone (14) 99152-5333.

Jornal da USP no Ar, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93,7, em Ribeirão Preto FM 107,9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular. Você pode ouvir a entrevista completa no player acima.

 

Textos relacionados