Estudantes devem controlar ansiedade para primeira fase da Fuvest

Para o diretor do vestibular da USP, agora é importante focar mais na preparação emocional do que na acadêmica

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

jorusp

Este domingo (25) é o dia da primeira fase da Fuvest 2019. O curso mais concorrido do País é, mais uma vez, Medicina. Segundo a relação candidato/vaga divulgada recentemente, são 115,2 candidatos por vaga. O local de prova também já pode ser consultado. Ao todo, são 127.786 inscritos, incluindo treineiros, que disputam 8.362 vagas distribuídas em 183 cursos de graduação. A USP também oferece mais 2.785 vagas via Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do Ministério da Educação (MEC). O processo de ingresso por esse sistema é administrado pela Pró-Reitoria de Graduação da USP.

A Fuvest divulgou um manual com regras e orientações para as pessoas que prestarão a prova. É essencial e indispensável a leitura para ficar mais atento ao que pode ser levado no dia do exame e evitar problemas — o que todo mundo não quer passar. Sobre o local, é recomendado visitá-lo antes para evitar possíveis imprevistos que possam vir a ocorrer no trajeto. Os portões serão abertos às 12 horas e o fechamento é às 13 horas. Depois disso, ninguém mais entra para realizar a prova.

Para esta primeira fase, o candidato deve levar documento oficial com foto e caneta esferográfica azul. Esta é uma particularidade da Fuvest, que difere do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que pede caneta esferográfica preta. É permitido levar lápis, borracha e régua para os rascunhos, contudo a folha de respostas deverá ser preenchida com caneta azul. Caso contrário, a resposta será desconsiderada.

O professor Renato Freire, diretor da Fuvest, afirmou para o Jornal da USP No Ar que os gabaritos oficiais serão divulgados assim que o último candidato encerrar sua prova. A expectativa é de que eles estejam disponíveis no site até as 19h30 do domingo. A lista com os nomes dos convocados para a segunda fase será lançada no dia 10 de dezembro. É importante lembrar que na segunda fase tem mudanças para este ano, de três dias de prova para dois, o segundo deles mais voltado para a área de atuação pretendida pelo candidato. A lista de leituras obrigatórias cobradas no vestibular também mudou, com a inclusão de As Relíquias, de Eça de Queiroz, substituindo seu outro livro que era cobrado: As Cidades e as Serras. Se o candidato for aprovado na segunda fase e no Sisu — de forma simultânea —, ele poderá escolher por qual meio entrar na USP.

Em um momento de grande ansiedade, o professor Freire revisa uma dica muito importante: “Meu conselho é focar mais na preparação emocional do que na acadêmica. Agora, é hora do candidato desligar um pouquinho, buscar um equilíbrio emocional, procurar um descanso físico. Ele deve chegar bem fisicamente e emocionalmente”.  

A Rádio USP terá uma programação especial na noite do domingo, cobrindo o pós-vestibular, com correções e comentários de professores.

jorusp

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados