Estados Unidos aprovam novo tratamento para leucemia

Técnica utiliza células do sistema imune do próprio paciente, modificadas por engenharia genética, contra o câncer

Por - Editorias: Atualidades, Rádio USP
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Esperança para crianças e jovens que sofrem com Leucemia Linfoide Aguda. O FDA, agência federal do Departamento de Saúde norte-americano, aprovou no fim de agosto realização de tratamento que transforma células do próprio paciente para atacar o câncer.

A leucemia é o câncer mais comum em crianças – Foto: John Evans – United States Army via Wikimedia Commons / Domínio público

Uma reprogramação das células de defesa do doente é feita, utilizando um vírus inativo. No caso, cientistas usaram o HIV, o mesmo que transmite a Aids, e os procedimentos foram surpreendentes.

O tratamento vale somente para um tipo específico da doença e para casos resistentes a tratamentos convencionais, rádio e quimioterapia, ou recidivas, quando a doença volta a se manifestar, o que acontece com cerca de 15% dos pacientes.

Especialista em Hemoterapia e Terapia Celular, o professor Eduardo Magalhães Rego, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) e pesquisador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Células -Tronco e Terapia Celular, conta como é realizado o novo tratamento.

“No Brasil, alguns grupos de pesquisa trabalham no desenvolvimento de tecnologias semelhantes à aprovada nos EUA, mas ainda em testes ‘pré-clínicos’”, afirma o pesquisador da USP. Ele diz que em curto prazo não existe perspectiva de ser aprovada no País, “pelo menos não ainda este ano”.

Por: Rita Stella

 

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados