Esgotamento profissional gera complicações na saúde

Pressão constante e excesso de trabalho provocam alterações físicas e emocionais

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O cansaço e o estresse causados pela rotina de trabalho podem ser responsáveis por diversos sintomas que afetam o bem-estar dos trabalhadores. Quando esse quadro torna-se persistente, pode-se ter a chamada síndrome de Burnout, ou síndrome do esgotamento profissional.

Como explica Alexandrina Meleiro, doutora em Psiquiatria pela USP, a continuidade de alterações como perda de sono, irritabilidade e dores no corpo é um dos fatores que podem indicar o desenvolvimento da síndrome. “O excesso de trabalho, a pressão constante, tudo isso com a redução de quadro de funcionários: a pessoa sente-se atolada e gradativamente adoece”, diz Alexandrina.

A psiquiatra lembra que as consequências desse estado podem ser mudanças na pressão arterial, desenvolvimento de diabete tipo 2, obesidade ou desnutrição por má alimentação e até o surgimento de dependência por substâncias como álcool e tabaco. Ouça o áudio completo da matéria.

 

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados