Doença rara deixa a pele em carne viva ou cheia de bolhas

Não contagiosa, a epidermólise bolhosa é hereditária e pode ser detectada após o nascimento, mas não tem cura, apenas tratamento

Epidermólise bolhosa é uma doença hereditária, rara e muito grave. Sua detecção só é possível após o nascimento e seus sintomas podem ir de leves a graves. Não existe cura para o problema. O tratamento é caro e exige muita atenção, precisando do acompanhamento de profissionais da saúde nas mais diversas áreas. Além do dermatologista, que detecta a doença, é necessário o suporte do dentista, fonoaudiólogo, fisioterapeuta, pediatra, ortopedista, assistente social, nutricionista, psicólogo, terapeuta ocupacional e enfermagem. Segundo a doutora Sílvia Maria de Macedo Barbosa, chefe da Unidade de Dor e Cuidados Paliativos do Instituto da Criança da Faculdade de Medicina da USP, o serviço dessa equipe especializada é essencial na recuperação e qualidade de vida dos portadores da enfermidade.

Acompanhe pelo link acima a íntegra da matéria.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.