Doença de Charcot-Marie-Tooth afeta sistema nervoso periférico

Filhos de portadores da doença têm 50% de chance de também desenvolverem a moléstia, diz especialista

  • 4
  •  
  •  
  •  
  •  

O programa Saúde sem Complicações desta semana trata da doença de Charcot-Marie-Tooth (CMT), um distúrbio neurodegenerativo hereditário do sistema nervoso periférico. Para falar do assunto, o convidado é o professor Wilson Marques Junior, chefe do Departamento de Neurociências e Ciências do Comportamento da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP e responsável pelo Laboratório de Neurofisiologia Clínica do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto (HCRP).

Wilson Marques Junior

A CMT, segundo o professor, compromete as fibras sensitivas, motoras e, em alguns casos, as autonômicas do sistema nervoso, geralmente levando a “sintomas relacionados às fraquezas distais e a falta de sensibilidade, inicialmente nos pés, podendo progredir para as mãos.”  

Trata-se de uma doença hereditária e a chance de um filho do portador desenvolver o problema é de 50%. Marques Junior lembra ainda que é possível que a doença persista por várias gerações de uma mesma família, sucessivamente.

Hoje, são conhecidas cerca de 92 origens diferentes para a doença e acredita-se que muitas ainda devem ser descobertas.

O programa Saúde sem Complicações é produzido pela locutora Mel Vieira e pelo estagiário Thainan Honorato, da Rádio USP Ribeirão, com trabalhos técnicos de Mariovaldo Avelino e Luiz Fontana. Apresentação de Mel Vieira e direção de Rosemeire Soares Talamone. Ouça acima, na íntegra, o programa Saúde sem Complicações.

  • 4
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados