Dificuldades na era digital fizeram bandas adotarem rock alternativo

Subgênero se tornou base para grande parte das produções musicais da época

Nesta edição do programa História do Rock, o professor Mario De Vivo continua falando sobre o rock no século 21 e conta que “no final da primeira década dos anos 2000, diversas bandas encerraram suas atividades” ou reduziram a produção de novos álbuns, o que “se tornou um padrão”. De Vivo argumenta que “a internet tomou grande parte do lucro das bandas”, ao fazer a ponte entre a música e o público.

Durante o período, bandas de rock alternativo passaram a ganhar destaque, “já que elas absorviam com facilidade as sonoridades de outros subgêneros, como o pop rock”, afirma De Vivo. Nesse cenário, bandas de subgêneros diferentes adotaram o rock alternativo, pois ele oferecia a possibilidade de explorar novos horizontes: “As bandas decidiram, então, não se alinhar a nenhum estilo específico”.

De Vivo também fala que “todas as bandas que surgiram após esse período mostravam-se muito diversas em seus repertórios, e o rock se tornou um gênero extremamente maleável, aceitando muito bem novas sonoridades, diferentemente do que se pensava nas décadas de 1960 e 1970”, período em que o rock era símbolo de luta e de identificação com causas sociais.

Ouça no link acima a íntegra do programa História do Rock.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.