Diabéticos e obesos devem redobrar cuidados em tempos de coronavírus

Segundo Bruno Halpern, independentemente de outras doenças associadas, tais moléstias são fatores de risco para pacientes com infecção por coronavírus

 27/04/2020 - Publicado há 2 anos  Atualizado: 01/05/2020 as 12:15

Dados estatísticos comprovam que diabéticos e obesos estão no grupo de risco da covid-19 e devem seguir à risca as recomendações médicas neste momento de pandemia. O especialista em Endocrinologia e Metabologia pela Faculdade de Medicina da USP, Bruno Halpern, comenta a situação destes grupos em entrevista ao Jornal da USP no Ar.

A diabete, assim como a idade avançada e os problemas respiratórios, são reconhecidos como fatores que podem agravar a situação de pacientes com coronavírus, desde o início da crise. “O que não é uma surpresa, já que a diabete está associada ao maior risco de complicação em diversas infecções”, aponta Bruno Halpern.

Por outro lado, a descoberta de que a obesidade também aumenta a possibilidade de complicações em paciente com covid-19 é recente, data das últimas semanas; além disso, se descobriu que o perigo independe de enfermidades associadas a ela, como cardiopatia e hipertensão. De acordo com o especialista, “a obesidade é um fator de risco para muitas doenças; é subestimada e não tratada como um problema. Agora, com a pandemia, muitos se dão conta que ela é, por si só, um fator de risco”.

Ainda sobre pacientes com obesidade, Bruno afirma: “Nessas pessoas, o problema é maior quando há apneia do sono ou, mais grave, hipoventilação de obesidade, ou seja, uma capacidade menor de responder a uma redução na saturação do oxigênio no sangue”. Nestes casos, o especialista ainda recomenda: “Ficou com uma tosse mais forte ou falta de ar, procure medir saturação ou fale com seu médico”. Mesmo em quarentena, o paciente não pode abandonar o tratamento para diabete e obesidade.

Ouça a íntegra da entrevista no link acima.


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica, a Faculdade de Medicina e o Instituto de Estudos Avançados. No ar, pela Rede USP de Rádio, de segunda a sexta-feira: 1ª edição das 7h30 às 9h, com apresentação de Roxane Ré, e demais edições às 10h45, 14h, 15h e às 16h45. Em Ribeirão Preto, a edição regional vai ao ar das 12 às 12h30, com apresentação de Mel Vieira e Ferraz Junior. Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo do Jornal da USP no celular. 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.