Dia Mundial sem Tabaco: número de fumantes cai mais de 50% em quase três décadas

Pneumologista da USP explica que, em 1988, 33% da população fumava, número que caiu para 14% em 2014

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail
Foto: Andrevruas/Wikimedia Commons
Foto: Andrevruas/Wikimedia Commons

Criado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 1987, 31 de maio é o Dia Mundial sem Tabaco. A data tem como objetivo alertar sobre as doenças e mortes evitáveis relacionadas ao tabagismo. Falar sobre os fatores de risco ajuda a conscientizar a população e a reduzir o número de fumantes, que chegou a 14% em 2014, uma queda de mais de 50% em relação a 1988, quando 33% da população fumava.

O tabaco é o principal fator de risco evitável para as doenças cardiovasculares e, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), causa 23 mortes por hora no Brasil, sendo 25% delas consequência de doenças coronarianas. No mundo, chegam a 6,3 milhões as mortes relacionadas ao tabaco. Entre as 4.720 substâncias químicas nocivas encontradas no cigarro, pelo menos 60 delas são reconhecidamente cancerígenas.

O pneumologista Ubiratan de Paula Santos, que é coordenador adjunto do Programa de Combate ao Tabagismo do Instituto do Coração da Faculdade de Medicina da USP (Incor-FMUSP), conversou com a repórter Marcia Avanza sobre a efetividade das ações contra o fumo e sobre os males provocados pelo cigarro.

logo_radiousp

.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados