Desigualdade social afetará retomada de atividades pós-pandemia

José Magnani aponta os impactos do período nas relações sociais e explica como ocorrerá uma reconfiguração da vida cotidiana

Com a pandemia da covid-19, as relações sociais precisaram passar por uma readaptação. Seja no trabalho, nos estudos ou na vida pessoal, a internet consolidou ainda mais sua importância na sociedade durante esse período de distanciamento social. O professor José Guilherme Cantor Magnani, do Núcleo de Antropologia Urbana (NAU) da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, acredita que haverá reconfigurações na vida cotidiana pós-pandemia, uma vez que “toda crise implica novas remodelações”.

O pesquisador acredita que “o uso das mídias vai se tornar algo muito importante na retomada dessa nova normalidade” e que o teletrabalho pode se instalar com mais força daqui em diante em algumas áreas, inclusive na acadêmica. No que diz respeito a atividades de lazer, ele ressalta que a desigualdade social é um fator importante ao analisar as perspectivas para o futuro: “Certas formas de lazer on-line certamente continuarão após a pandemia, mas não se pode falar disso de maneira geral, é preciso levar em conta a desigualdade estrutural de nossa sociedade. Certamente os efeitos não serão os mesmos em bairros de classe média, por exemplo, em oposição ao que acontecerá nas periferias”.

Saiba mais ouvindo a matéria na íntegra.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.