“Desenvolvimento sustentável”, termo correto para a sustentabilidade

O colunista traça um pequeno histórico das “nomenclaturas” que identificam os esforços na área de sustentabilidade global

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Quando o assunto é sustentabilidade, há diversas denominações, como governança global,  desenvolvimento sustentável, governança mundial do desenvolvimento, governança ambiental. Para o professor José Eli da Veiga, o mais correto é denominá-la “desenvolvimento sustentável”.

Ele nos conta, em sua coluna, um pequeno histórico sobre as “nomenclaturas”. “Existiu uma governança mundial do desenvolvimento que antecedeu a governança ambiental”, lembra. Na opinião do professor, a governança mundial do desenvolvimento precisaria se adequar à governança ambiental para resultar numa governança do desenvolvimento sustentável.

De acordo com o colunista, parte dos cientistas políticos e pesquisadores das áreas de ciências humanas tem certa relutância sobre os termos. “Em 2009, foi fundada uma grande rede de pesquisadores denominada Governança do Sistema Terra. Mas eles não parecem estar muito convencidos disso, já que o título do próximo congresso, que acontecerá em novembro, na Holanda, será Governança Global da Sustentabilidade num Mundo Complexo”, questiona Eli da Veiga.

De fato, como comenta o cientista, há um esforço transdisciplinar para compreender o Sistema Terra. Começou nos anos 1980 na Nasa, depois com o programa Geosfera Biosfera – IGBP, que estabeleceu uma rede de cientistas em todo o mundo para realizar pesquisas interdisciplinares sobre as mudanças globais e sobre o sistema terrestre. “Nos anos 2000 dava a impressão que seria um novo paradigma científico, mas nos últimos oito anos isso ficou um pouco duvidoso”, considera José Eli.

O colunista chama a atenção para o evento que ocorrerá no próximo dia 10 de abril, no Instituto de Estudos Avançados (IEA) da USP, quando o cientista brasileiro Carlos Nobre participará do encontro Conversa sobre o Sistema Terra. “Recomendo que os interessados compareçam ou acompanhem a transmissão ao vivo”, sugere o colunista, que é o coordenador do encontro. O evento é gratuito e não há necessidade de inscrições prévias.

Ouça a coluna na íntegra.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados