Desemprego cai em São Paulo e reflete tímido avanço econômico

Em agosto, taxa caiu 2,2% com melhora dos serviços e construção civil e piora na indústria e no comércio

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn2Print this pageEmail

Segundo o professor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (Fearp) da USP Sérgio Sakurai, a queda do desemprego na Grande São Paulo pode ser vista com bons olhos diante da difícil situação da economia do País.

Ele explica que, em momentos de recuperação econômica, é comum que haja setores com bom desempenho, enquanto outros continuam a piorar. Em agosto, mesmo com a melhora da construção civil e do setor de serviços, houve mercados que apresentaram dados negativos, como o comércio e a indústria.

O professor esclarece que os dados, fornecidos pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade), são decompostos em desemprego aberto e oculto. O desemprego oculto aumentou e se trata daqueles trabalhadores que fazem bicos ou que  já desistiram de procurar emprego. O número de desempregados ainda é de 1 milhão e 988 mil, 17,9% da população economicamente ativa.

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn2Print this pageEmail

Textos relacionados