Descentralização de recursos federais não resolve crise da saúde

São necessárias medidas que aliviem as dificuldades no curto prazo, e a solução conta com uma melhora na gestão

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

 

Os desafios da gestão da saúde pública no Brasil são o tema de mais uma entrevista da série Repensando o Brasil.

O professor do Departamento de Política, Gestão e Saúde da Faculdade de Saúde Pública da USP, Oswaldo Yoshimi Tanaka, aponta que a desigualdade na capacidade de gestão de recursos por parte dos municípios é um dos principais entraves para uma melhor administração do sistema de saúde do país.

O especialista destaca que, desde a constituição de 1988, milhões de brasileiros passaram a ter acesso à saúde. No entanto, ressalva Tanaka, o sistema não estava preparado para atender tantas pessoas, o que se reflete na crise atual.

O Brasil precisa aprender a lidar com a situação vigente, pois, segundo o professor, não há saídas no curto prazo.

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados