Custos do sistema político-eleitoral brasileiro

Segundo Nakabashi, o presidencialismo de coalizão traz altos custos econômicos, que precisam ser repensados

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail


.
.O presidencialismo de coalizão, como é adotado no Brasil, é um sistema que tem custos relevantes, em termos econômicos. É um sistema que exige uma grande negociação entre os partidos para obtenção de apoio político para aprovar projetos e reformas. É uma relação de barganha política, que acontece nos níveis federal, estadual e municipal, para a governabilidade do executivo. Para ganhar apoio político, são distribuídos cargos em ministérios, empresas estatais, instituições públicas, e nesses cargos são colocadas pessoas que muitas vezes não têm qualificação para ocupá-los. Isso pode gerar ineficiência nesses órgãos, além de desperdício e desvio de recursos. Ouça acima, na íntegra, o comentário do professor Luciano Nakabashi.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados