Cúpula do Brics reafirma propósitos do grupo

Brasil, Rússia, Índia, China, e África do Sul reforçam, em conjunto, seus interesses internacionais

  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  

A 10ª Cúpula do Brics, realizada em Joanesburgo, na África do Sul, de 25 a 27 de julho, é tema do comentário de Alberto do Amaral Júnior. O professor da Faculdade de Direito da USP resgata a origem do grupo, criado há nove anos com o objetivo de “influenciar no processo de governança internacional, tanto no plano econômico quanto no da segurança internacional”.

Amaral explica que a África do Sul ingressou no Brics dada a importância geográfica privilegiada no continente Africano e à sua influência construtiva no plano internacional.

O professor aponta que o Brics, até o momento, desenvolveu ações importantes: “Reivindicaram a mudança na composição do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), pleiteando maior espaço para os países componentes do Brics”. Lembra, ainda, que somente a Rússia e a China têm assento permanente e direito de veto nas decisões do conselho.

Ouça, no link acima, a íntegra da coluna Um Olhar sobre o Mundo.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados