Cultura gay já era visível no Brasil dos anos 1960 e 1970

É o que demonstram os documentários “Dzi Croquettes” e “Divinas Divas”, que merecem comentários de Alexino Ferreira

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Existe uma cultura gay? A preocupação com essa questão aparece com mais ênfase, aqui no Brasil, a partir dos anos 1990, com o surgimento da sigla GLS (Gays, Lésbicas e Simpatizantes). No entanto, dois documentários produzidos no País – Dzi Croquettes e Divinas Divas – mostram que já nos anos 1960 e 1970 existiam culturas gays constituídas pelas artes, sobretudo teatro e música.

Segundo o colunista Ricardo Alexino Ferreira, ambos os documentários “demonstram que existiram no Brasil dois momentos importantes na formação de culturas das diversidades sexuais, o que hoje poderíamos chamar de culturas LGBTIs”. O colunista traça um breve comentário dessas produções – uma delas retrata o universo do Dzi Croquettes, notório grupo de teatro e dança brasileiro, que atuou de 1972 a 1976 e que foi um marco da contracultura nacional em plena ditadura militar.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados