Crise na Nicarágua tende a se agravar

Segundo Rubens Barbosa, o Brasil precisa ter uma posição mais proativa em relação àquele país

  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  

O embaixador Rubens Barbosa, na edição de hoje, traça um panorama do conflito na Nicarágua, que já deixou centenas de mortos.

Daniel Ortega, presidente da Nicarágua, no poder desde 2006, vem reprimindo os manifestantes com enorme violência. “É uma ironia, porque Ortega, com o apoio da comunidade internacional, derrubou a ditadura de Anastasio Somoza. E agora o governo, que se diz revolucionário, reproduz a violência interna”, analisa Barbosa.

Um fato novo na crise da Nicarágua, segundo o embaixador, diz respeito à apresentação de um relatório pelas Nações Unidas, instando o presidente Ortega a interromper a perseguição aos manifestantes, desarmar os civis e pacificar o país. “Ortega se manifestou violentamente contra e expulsou a missão da ONU pela divulgação do relatório.”

Para Barbosa, a crise tende a se agravar, o governo não vai flexibilizar a posição e a comunidade internacional terá que se manifestar. “O Brasil não tem se manifestado claramente sobre sua posição com relação à Nicarágua. Precisamos de uma posição mais proativa”, observa o colunista.

Ouça, no link acima, a íntegra da coluna Diplomacia e Interesse Nacional.

  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados