Crise dos presídios brasileiros ultrapassa fronteiras

O Brasil já possui a quarta população carcerária no mundo, só perdendo para a dos EUA, China e Rússia

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

logo_radiousp790px

Foto: VisualHunt
Foto: VisualHunt

No final de fevereiro, a Corte Interamericana de Direitos Humanos enviou ao governo brasileiro 52 questões sobre o sistema prisional brasileiro, que passa por uma grave crise, a qual culminou com as rebeliões ocorridas nos 15 primeiros dias do ano, quando 133 pessoas foram massacradas em presídios da região Norte do País. A situação do sistema prisional é considerada dramática. O Brasil contabiliza mais de 650 mil pessoas encarceradas, o que dá um número superior a 300 presos por 100 mil habitantes, quando o indicador médio no mundo é de 140 presos por 100 mil habitantes. E o que é mais grave é que muitos desses presos já cumpriram suas penas, mas foram esquecidos pelo sistema.  A Corte Interamericana de Direitos Humanos, ligada à OEA (Organização dos Estados Americanos), julga casos de superpopulação carcerária e de violação de direitos em presídios de Pernambuco, Maranhão, Espírito Santo e Rio de Janeiro. Ouça acima a coluna do professor Pedro Dallari.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados