Cresce o número de pessoas intoxicadas por produtos de limpeza

Segundo a Anvisa, houve um aumento de mais de 23% nos casos de intoxicação, entre janeiro e abril, em comparação ao mesmo período do ano passado

 

Segundo a Anvisa, houve um aumento de mais de 23% nos casos de intoxicação, entre janeiro e abril, em comparação ao mesmo período de 2019. Apesar de não haver informações que demonstrem a relação entre a exposição aos produtos e os esforços para higienização e desinfecção para evitar a disseminação da covid-19, esta parece ser a causa no aumento das intoxicações. Segundo o doutor Anthony Wong, médico chefe do Centro de Assistência Toxicológica (Ceatox) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, “está havendo uma neurose, um exagero na tentativa de esterilizar tudo. Com isso, as pessoas têm passado álcool em excesso, água sanitária em excesso e outros produtos de limpeza, alguns deles até perigosos, por serem muito cáusticos ou muito ácidos e até corrosivos”.

O toxicologista cita que “as pessoas têm a mania de pensar que, se um pouquinho de produto de limpeza faz bem, utilizando mais ele fica mais forte e sua ação seria melhor. Isto fez com que as pessoas exagerassem, limpando e lavando várias vezes, inalando, contaminando a pele e até os alimentos”. As misturas dos produtos de limpeza também são um risco. Dependendo da mistura é possível causar até uma explosão, dada a reação química entre os produtos. Um exemplo é a junção de água sanitária e amônia, que pode explodir ou emitir gases extremamente tóxicos.

O doutor Anthony Wong lembra que “o vírus é extremamente sensível, mesmo a baixas concentrações de produtos de limpeza, não é necessário uma alta concentração”. Ele cita que “estudos feitos na China e outros países mostram que cerca de 95% dos casos de contaminação pela covid-19 foram por via respiratória e não por contato”. A recomendação do doutor Wong é utilizar os produtos de maneira moderada e, em caso de intoxicação, se necessitar de um auxílio, ligar para o Ceatox, que funciona 24 horas. O telefone para contato é 0800-148-110.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.